• Treino Mestre

O que é melhor depois da musculação para o emagrecimento, o aeróbico ou o HIIT?


Houve um tempo onde era quase “proibido” alguém que buscava emagrecer, fazer musculação. Com muito custo, diversos estudos e profissionais mostraram que a musculação é altamente eficiente para o emagrecimento.

Depois disso, foi a vez da ciência “desmascarar” o aeróbico de baixa intensidade, mostrando que ele não é bom para o emagrecimento.

Agora, como última alternativa aos “fanáticos” restou a utilização do aeróbico de baixa intensidade depois da musculação, com o objetivo de emagrecimento.

Pois bem, vamos ver neste artigo qual dos dois é mais eficiente para o treino de emagrecimento, o HIIT ou o aeróbico, depois da musculação.

Mas antes, precisamos entender um pouco mais do que acontece com seu corpo em cada um dos treinos

Após a musculação, devo fazer aeróbico ou HIIT?

Quando você busca emagrecer, tem que saber que o principal objetivo é elevar seu metabolismo basal, fazendo com que você gaste mais calorias durante todo o dia. Sempre com o acompanhamento da dieta, temos algumas alternativas que fazem isso com nosso corpo. Já mencionei em diversos artigos anteriores, que a ciência vem mostrando que a intensidade em que você se exercita, é um fator fundamental para conseguirmos tal objetivo.

O treino de musculação, quando bem montado, tem como objetivo desgastar ao máximo as fibras musculares e as vias energéticas, para que no processo de recuperação, o corpo gaste muito mais energia e assim, utilize também a gordura como fonte energética.

Neste contexto, se faz necessário que o treino de musculação, focado no emagrecimento, seja rápido e intenso. Com isso, a atividade que vem depois, precisa seguir a mesma linha de estímulo, para que não haja o fenômeno da concorrência entre elas.

Agora vamos avaliar o HIIT e o aeróbico de baixa intensidade, quando inseridos depois do treino de musculação. O HIIT vai ser realizado em alta intensidade e seu corpo, já está com seus estoques das vias energéticas principais, bastante depletados. Já o exercício aeróbico, de baixa intensidade, vai fazer com que estas vias energéticas sejam parcialmente recuperadas, mesmo durante sua execução.

Neste contexto, podemos dizer que o HIIT tem um estímulo muito similar ao da musculação, do ponto de vista de intensidade, bioenergética e desgaste. Por sua vez, o aeróbico de baixa intensidade é um estímulo diferente e acaba concorrendo com a musculação, no processo de regeneração pós-treino.

Existem diversos estudos (Kravitz, 2009, Wilson, 2012) que mostram que o treinamento concorrente deve ser evitado para grande parte dos objetivos, tendo em vista que ele faz com que nenhum dos objetivos sejam atingidos de maneira plena.

Em um estudo de Marin (2012) foram avaliados os efeitos do treinamento concorrente sobre a recuperação muscular, do treinamento concorrente. Foram utilizados 3 grupos, sendo um de controle, um que realizou atividades concorrentes e outro que realizou apenas atividades com o mesmo grau de intensidade.

Foi verificado que a atividade concorrente teve um gasto energético menor do que a atividade realizada em intensidade igual.

Acredito que neste ponto, já não tenhamos mais dúvidas que o treinamento aeróbico de baixa intensidade não é o mais indicado para ser realizado após a musculação, quando o objetivo é o emagrecimento, não é?

Mas temos que ter clareza que o HIIT feito depois da musculação também é diferente daquele convencional.

HIIT depois da musculação, qual a melhor maneira de treinar?

Como o HIIT é um treino de alta intensidade, quando ele é feito após a musculação, ele precisa de certos ajustes. Você precisa ter em mente que a musculação deixa seus músculos bastante desgastados e o HIIT precisa ser feito de uma maneira que não coloque em risco a sua saúde.

Vou dar um exemplo prático. Imagine que você realizou um treino de pernas altamente intenso. Não é nem de perto aconselhável usar um HIIT que cause uma sobrecarga extra muito elevada nesta musculatura. Por isso, o mais indicado é fazer o HIIT na bike, com menos carga, apenas controlando a velocidade. É lógico que isso vai depender de uma série de fatores, mas no geral é o que acontece.

Já se você fez um treino de membros superiores e não tem maiores limitações, pode usar uma corrida ou outro exercício, para aumentar seu gasto calórico.

De maneira geral, é interessante fazer um HIIT mais curto, com menos repetições de alta intensidade. lembre-se que ele tem como único objetivo aumentar o gasto energético no pós-treino.

Existem diversas maneiras de usar o HIIT depois do treino de musculação, mas também temos uma série de fatores que o influenciam. Por isso, não existe fórmula pronta. Mas o que posso afirmar, de acordo com a minha prática e ao que a ciência produziu já, é que o HIIT é mais eficiente, inclusive depois da musculação, quando o contexto está relacionado ao emagrecimento.

Para ter isso potencializado, procure sempre um bom profissional para montar seu planejamento de treino.

Bons treinos!

#hiit #HIIT #hipertrofia #aeróbico #musculação #TRX

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo